Superstorm Entrevista: Luís Felipe Cota

Superstorm Entrevista: Luís Felipe Cota

O Superstorm Entrevista de hoje é com um cara sensacional: Luís Felipe Cota, CEO da Goomark. Uma agência de marketing digital focada em performance que já movimentou mais de 7 milhões de reais em publicidade para PME’s no ultimo ano.

Recentemente tive o prazer de bater um papo super bacana com ele e conheci a estrutura da agência que atende mais de 400 contas de PME’s em todo o Brasil.

Agora, aproveite esta entrevista. Está imperdível!

1 – Luís, como foi os primeiros passos da Goomark no mercado digital?

Muito legal essa pergunta Herbert, eu trabalhava como farmer na Fujitsu do Brasil, atendia contas grandes como McDonald´s, Honda, Yamaha, Bugue, entre outras, mas estava focado em trabalhar com marketing ou comunicação, estudando e lendo tudo sobre, conheci o marketing digital e resolvi me aventurar. Abri a Goomark e logo de cara conquistamos contas grandes como (ISC)² e Catho, porém o meu objetivo nunca foi concorrer com grandes agências e sim ser a melhor e maior agência para pequenas e médias empresas, fazer um trabalho de sucesso para um único cliente cheio de verba, desculpa, muita gente faz, atender centenas ou milhares de clientes com um padrão global de qualidade é um desafio que me motiva e acredito estar restrito a poucas pessoas e empresas.

2 – Recentemente a Goomark fez mais um evento de casa cheia do Google. O evento superou suas expectativas?

Sim e de muita gente!

O Google abre espaço para as agências realizarem um café da manhã com eles, fizemos alguns e sempre lotamos aquelas salinhas de 60 pessoas, no mês passado o pessoal de Channel Sales a Julia e o Adriano nos desafiaram a lotar ao auditório principal, foi um sucesso, travamos a recepção das caras rs…..

Contudo é uma atividade que exige resultado, utilizamos eventos como ferramenta para esquentar o pipeline e jogar oportunidades para dentro, o evento foi a algumas semanas e já temos um bom volume de novos negócios tendo atacada, até agora, somente 35% do funil, estamos ansiosos e já planejando o próximo que será em outubro, estão todos convidados.

3 – Além de ser uma referência em comunicação e marketing, a Goomark foi uma das agências que mais cresceu no mercado de PMEs. Como você avalia esse crescimento e o mercado de PMEs?

O mercado PME é um mercado gigante, 6 milhões de empresas, porém desafiador, é preciso achar a medida certa de preço e infraestrutura, se cobrar muito caro a PME não compra, se cobrar muito barato a conta não fecha, temos tido sucesso com uma força de vendas que tem a melhor produtividade por executivo do Brasil, fazemos isso preparando o time tecnicamente, motivando os caras e claro, com uma comissão bem agressiva, rs…

Mas o grande segredo é entregar o que a PME quer, a PME quer conquistar o sonho de negócio realizado e esse é o nosso negócio. Atender 400 clientes, com bons índices de satisfação, incrementando receita e crescendo 100% ao ano exige gente boa e motivada, processos claros e precisos e claro um produto excelente.

4 – O Inbound Marketing está em crescimento constante no Brasil. Por que esta estratégia tem se tornado tão importante para os negócios online?

O inbound é a nossa grande aposta para o mercado PME, pois ele engloba todas as estratégias online, não se limita ao SEO ou ao Google AdWords, tudo se conversa, converge e trabalha em harmonia. Para uma PME o investimento inicial pode até ser mais alto, mas no longo prazo é o melhor ROI possível, ter como a base dos negócios tráfego orgânico é a grande chave para o sucesso no marketing digital.

5 – Como você vê a evolução do Inbound Marketing nos últimos anos e qual a expectativa para o futuro?

Começamos a ofertar ao mercado o Inbound em Março, agora em agosto já temos mais de 30, ou seja, não é o futuro, é o presente. Entendo que para o futuro as ferramentas de automação precisarão sair da caixa, não dá para ter a hospedagem em um lugar, a automação em outro, o blog no word press, email marketing em outro canto, tudo precisa se conversar e o maior desafio de todos, ser “friendly”. Eu vejo que quem realizar isso primeiro dará as cartas na indústria.

6 – Quais as razões para investir em Inbound Marketing?

É a mesma razão para ter a casa própria, até quando sua empresa vai alugar cliques do Google AdWords ou Facebook Ads? Você precisa investir em conteúdo e estar presente em todas as redes sociais, trazer a audiência para os seus canais e trabalhar em cima de audiência própria, o tráfego orgânico.

Ah você faz otimização de sites, ok, mas e o trabalho de email marketing?

Spanzão não funciona mais, aí que a nutrição de leads, através de uma ferramenta como a Hubspot faz todo sentido, você se relaciona com o cliente com a mensagem certa na hora certa, isso é inbound e é assim que você vai ganhar mais dinheiro.

7 – Marketing como despesa x Marketing como investimento. Como você enxerga isso, diante da crise vivida no mercado?

Bem simples, marketing que funciona é investimento, marketing que não funciona é despesa, agora o pior é não fazer nada devido à crise.

Tenho dados internos compartilhados pelo Google entre os parceiros premium aonde é possível notar que a grande maioria dos ramos tiveram redução do custo por clique e acredite, a demanda, as buscas são as mesmas, a pior crise que pode existir é não confiar no taco e no próprio negócio, costumo dizer ao meu time que o governo e a economia eu não controlo, mas todo o resto nós vamos fazer 110%.

8 – Qual sua expectativa sobre o marketing digital no Brasil ainda em 2015?

Ainda vai ser um ano difícil, tenho um excelente relacionamento com os principais CEOs do digital e é um consenso, o cliente está bem sensível, qualquer falha ele cancela mesmo e muitos têm dificuldade para pagar os boletos, porém as vendas estão funcionando bem, as PMEs estão apostando em marketing digital na crise, isso é um excelente sinal.

Agora o momento é de alerta, não é difícil perceber que muitas agências estão em processo de downsizing e eu acredito fortemente que agências sem controle na ponta do lápis do financeiro, fluxo de caixa e P&L pode quebrar esse ano.

9 – Você como empreendedor, quais dicas você pode dar aos leitores do Superstorm que estão iniciando seu negócio online?

A melhor dica que posso dar é aquela que gostaria de receber logo quando comecei tudo e aquelas que comecei fazendo e hoje enxergo que acertei então, lá vai:

Compartilhe e mantenha o seu sonho vivo, é só ele que importa.

  1. Humildade em primeiro lugar eu já conheci estagiários, donos de agências, executivos que me ensinaram coisas valiosíssimas, se você fizer como a maioria que só porque comprou um carro importado anda de nariz em pé, você será ultrapassado.
  2. Comece fazendo tudo certo, impostos, efetivação, softwares legais, contratos feitos por um advogado, começar direito é melhor do que arrumar depois.
  3. Demore para contratar, demita rápido, aprendi com meu sócio uma frase “A pressa passa a merda fica”, ao contratar a empresa abre portas, se abrir a porta errada todo o tipo de coisa ruim entra e isso pode significar o fim dos planos.
  4. Seja sempre transparente com todo seu time, mesmo que isso te custe alguns arrependimentos, quem estiver compartilhando a sua visão de negócio vai “correr” junto contigo na direção correta

10 – Quais as primeiras estratégias de marketing digital que esse novo empreendedor pode aplicar no seu negócio?

Antes de qualquer coisa responder a seguinte pergunta: “Como o meu cliente vai descobrir que eu existo?”

Respondido, comece por aí.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.