Superstorm Entrevista: Daniel Cardoso

Superstorm Entrevista: Daniel Cardoso

O Superstorm Entrevista de hoje é com o especialista em E-commerce e Sócio-diretor da Universidade Buscapé: Daniel Cardoso.

Além disso, é um cara que tive o prazer de conhecer pessoalmente, trocar idéias e participar de curso ministrado por ele.

Nesta entrevista você vai conferir o que o Daniel está pensando sobre o mercado digital, dicas sobre e-commerce, quais foram as experiências que adquiriu durante a carreira.

E já te aviso: Está incrível!

1 – Você é sócio-diretor da Universidade Buscapé Company. Como é planejar esses cursos que tem o foco em preparar profissionais para o e-commerce e marketing digital?

Todo curso é um “filho” nosso. Basicamente ele tem que preencher o seguinte requisito fornecer conteúdo relevante e aplicável a empreendedores e profissionais de marketing digital e e-commerce (ou para quem deseja entrar no mercado digital). É um trabalho extremamente gratificante pois de um lado vejo a satisfação dos alunos em progredirem em suas empresas de outro lado vejo profissionais de mercado que muitas vezes nunca deram aula se tornarem excelentes professores e descobrir uma nova realização na carreira.

2 – O Gamification, em breve, vai “explodir” no Brasil, como você vê o mercado brasileiro investindo nesta estratégia?

O Gamification é muito novo não só no Brasil, mas no mundo. A estratégia de se usar a mecânica dos games para resolver problemas do dia a dia está se provando muito eficaz e sendo usada por grandes empresas como a VW, Nestlé, Marriot e também pequenos e médios que descobrem o seu potencial. Nosso curso de Gamification tem provado pelos feedbacks que recebemos que as aplicações estão só começando.

3 – Daniel, como começou a sua paixão pelo comércio eletrônico?

Em 1998, fiz um curso de especialização de marketing nos EUA e fiquei absolutamente encantado com o que vi.  A Amazon tinha apenas dois anos de vida e já fazia sucesso. Ao voltar para o Brasil mergulhei nesse universo para conhecer tudo a respeito e em 1999 entrei no UOL para fazer parte da primeira turma de executivos do depto. de E-commerce. Desde então nunca mais “larguei o osso” .

4 – Quais experiências fundamentais você adquiriu quando foi executivo de vendas dos portais Terra e Uol?

Fiquei apenas 1 ano em cada uma destas empresas mas o aprendizado foi incrível. Nelas observei uma infinidade de lojas virtuais nascerem, morrerem e bem como muitas  crescerem espantosamente. Sem dúvida isto agregou muito conhecimento sobre o assunto. Outro ponto importante é que pude trabalhar e conhecer profissionais que hoje são destaques em diversas empresas digitais, como por exemplo Romero Rodrigues e Rodrigo Borges que vários anos depois comprariam a ideia de serem sócios na Universidade Buscapé Company.

5 – Quais são os primeiros passos que o novo empreendedor digital deve seguir para ter sucesso em seu e-commerce?

Olha, essa é uma resposta comprida ..rs. Antes de mais nada nunca subestime o trabalho que dá montar uma boa loja virtual. Muitos empreendedores acham que é só botar a loja na web que ela se torna uma máquina de vendas. Tendo isto em mente, resumidamente , costumo dizer que o passo 1 é se informar muito a respeito. Seja navegando em sites especializados ou em cursos sobre e-commerce. O passo 2 é fazer um plano de negócios ou Business Model Canvas e investir muito tempo até realmente achar que a ideia vale a pena se tornar realidade. Se o profissional ainda não é empreendedor, aconselho a fazer cursos do SEBRAE para saber como fazer a gestão de uma empresa. Feito isto ele estará apto a entrar da forma mais adequada no varejo online que está cada vez mais competitivo.

6 – Quais estratégias de marketing digital não podem faltar para promover o comércio online?

Número um: conhecer sua buyer persona. Feito isso você vai determinar a melhor forma de alcança-la. E-mail marketing e SEO/ link patrocinado são os preferidos dos e-commerces,  mas as mídias sóciais e o marketing de conteúdo estão ganhando cada vez mais espaço numa boa estratégia de marketing digital.

7 – Quando o empreendedor for escolher sua plataforma de e-commerce, o que ele deve levar em consideração para fazer a melhor escolha?

Essa também é uma resposta longa, e que exige conhecer as necessidades de cada loja para fazer a melhor sugestão. Recomendo fortemente a leitura do post  Como escolher a melhor plataforma para sua operação que escrevi a respeito deste tema  e também que antes de tomar a decisão o empreendedor baixe o nosso Guia de Plataformas para poder avaliar as melhores do mercado.

8 – Como você imagina o comércio online no Brasil daqui há 5 anos?

Imagino que ele irá faturar muito mais no mobile do que nos desktops. Com a popularização dos smartphones e a melhoria das plataformas de e-commerce para dispositivos móveis será muito mais prazeroso comprar pelo celular o tablet. Acredito também que a tão falada “Internet da coisas”, começará a dar seus primeiros passos para fazer parte do dia a dia do consumidor.

9 – Quais as dicas que você pode deixar para quem está iniciando no marketing digital e no e-commerce e quais cursos você indica para esse ponta pé inicial?

Para quem deseja empreender ou trabalhar com e-commerce  recomendo nossos cursos E-commerce Professional ou E-commerce Essential que darão uma excelente base teórica. Para marketing digital os cursos mais procurados pelo mercado são Midias Socias e SEO, mas ultimamente com as novas tendências de mercado, cursos de Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing é uma excelente opção. E para quem está descontente com o mercado que atua e quer mudar de carreira para uma empresa digital, sugiro baixar nosso e-book gratuito “Aprenda o caminho com quem mudou sua carreira para uma empresa digital” que dará excelentes dicas para profissionais com esse objetivo.

10 – Marketing como despesa x Marketing como investimento. Como você enxerga isso, diante da crise vivida no mercado?

Um antigo professor meu uma vez sabiamente falou que a forma mais rápida de matar uma empresa é não fazer marketing em tempo de crise. Felizmente o marketing digital ainda é muito mais barato que o marketing tradicional, mas exige muita dedicação e foco para se ter os melhores resultados. Nas crises tanto nos EUA como na Europa, o marketing digital cresceu por que empresas que não investiam nele passaram a fazer para reduzir o valor do investimento.   O interessante é que depois que estas empresas experimentam este “novo marketing” passam a utiliza-la cada vez mais. A também o fato de que algumas mídias específicas, na crise aumentam muito sua audiência pelo fato do comprador ficar mais cauteloso. O Buscapé é uma delas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.