Quantas vezes você leu uma notícia no Facebook e se sentiu triste, angustiado, indignado? E ficou em dúvida sobre “curtir” ou não uma publicação?

Quantas vezes você se sentiu “perdido” ao ler uma publicação e não soube como expressas sua indignação, tristeza, angústia?

Ou, leu algo que lhe fez sentir uma felicidade absurdamente imensa. Uma alegria genuína. E o “like” não bastava para expressar o que sentia?

Parece uma “loucura” mas o comportamento de quem acessa as mídias sociais mantém viva as publicações onde o usuário pode expressar o que sente. Uma das formas pelas quais uma publicação tem alcance maior em post orgânico é exatamente essa: quanto mais interação é criada dentro do post, mais vezes ele é impresso na timeline.

Nasce então o “Reactions”  : a ferramenta que permite ao usuário escolher uma reação para expressar através de um dos 6 emotions disponíveis:

Facebook Reactions

O usuário não precisará mais ficar em dúvida: caso a notícia lhe cause indignação, tristeza, espanto…. isso poderá se externado através deste recurso.

“Por muitos anos, as pessoas nos pediram para adicionar um botão “não curti”. Nem todo momento é bom, e, às vezes, você só quer uma forma de expressar empatia. Esses são momentos importantes onde você precisa o poder para compartilhar mais que nunca, e um “curtir” talvez não seja a melhor forma de se expressar”

Mark Zuckerberg, em sua página na rede social. 

Mas e aí? O que muda com a chegada do Reactions?

O que isso representa para marcas?

Por enquanto, nada deve mudar. Mas, nada que o Facebook cria é em vão ou por simples motivação de satisfazer seus usuários. Mark sabe exatamente o que fazer com os dados que serão possíveis coletar sobre o sentimento expresso pelo usuário nas publicações.

Como foi determinada quais seriam as 6 reações?

Foram utilizadas 2 técnicas: uma foi escanear as reações oriundas de uma palavra que seja muito utilizada nos comentários.A segunda, foi analisar os SENTIMENTOS dos usuários ao usar um determinado stickers nos comentários. Desta forma foi possível determinar qual era a variação mais comum de EMOÇÕES, levando em consideração as palavras e sua representação expressa de forma visual.

A ferramenta já está sendo testada, na Espanha e Irlanda. O critério para seleção das regiões de teste considerou os seguintes fatores: esses dois locais possuem um número baixo de amigos de outros países e isso resguarda a possibilidade de que a interação “vaze” para outros países.

Como isso tudo irá impactar meu trabalho?

Para quem lida diariamente com as métricas e  monitoramento do Facebook ,muita coisa deverá mudar ( imaginem só: as publicações de uma marca recebendo uma série de interações, com reações diversificadas, mais os comentários. Torna-se cada vez mais precisa a avaliação do sentimento  do usuário ao ser impactado pela publicidade de marca. O monitoramento ganhará mais “vida” , ler as impressões dos usuários demandará mais atenção, mais trabalho e uma qualidade de entrega de dados ainda mais rica. Essa é minha aposta! )

[UPDATE] As reações demonstradas podem ser alteradas quantas vezes o usuário quiser.

Assistindo ao vídeo do Estevão Soares Custódio que testou o “Reactions” foi possível verificar que o USUÁRIO pode a qualquer momento MODIFICAR o que sente em relação a publicação. Mais prova de que será um grande desafio monitorar esses dados, não pode haver não é mesmo?

Que tal agora, ver o o “Reactions” em movimento?

1 Comment

Write A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.