A geração que muito quer, mas tem medo de escolher

A geração que muito quer, mas tem medo de escolher

Você nasce, cresce, tem amigos, tem um relacionamento, passa na universidade, consegue um bom emprego e… e… não está satisfeito. A nossa geração tem esse grande problema. Nunca está satisfeito com o que tem, sempre quer algo, porém muitas vezes não sabe o que é esse “algo”.

Em minha vida profissional, creio que poucas vezes conheci pessoas satisfeitas 100% com o que faziam. Sempre há alguma reclamação e ,na maioria das vezes, o problema não é com a empresa, e sim, com nós mesmos. O maior exemplo desse muro das lamentações são os almoços. Se você almoça com alguém que trabalha contigo, pode ter certeza que sempre o assunto é a empresa. E na grande maioria das vezes, não há elogios. Somente críticas. Por que será? Será que essa empresa é tão ruim assim realmente?

E é engraçado, pois essa insatisfação independe do cargo da pessoa. Se é estagiário, quer ser analista. Se analista, quer ser coordenador. Se é coordenador quer ser gerente. Se é gerente quer ser diretor. Mas se é diretor, quer ser pintor de quadro e está insatisfeito com posição dentro da empresa. Sempre queremos mais, e rápido.

Não vejo isso como um problema, pois dessa maneira nunca ficamos parados. Sempre nos direcionamos e temos ambições para alcançar mais e mais. Porém, há um fator que nos incômoda bastante e nos faz mal. Se não alcançamos aquilo que queremos, por algum motivo, isso nos abala muito. Você começa a se perguntar o que fez de errado e  se culpa, fica sem ânimo de correr atrás das outras coisas, pois crê que não conseguirá mais alcançar nada do que quer.

E o mais difícil é que isso interfere em sua vida toda. Antes, você que era um cara que confiava em seu trabalho, não confia mais, por ter falhado, um ou duas vezes. Mas, isso extrapola o profissional. Você não confia mais em suas relações. Se acha inferior e pensa que a pessoa não vai querer mais está do seu lado, pois você falhou, e falhar, na sua opinião, não é aceitável. Você se cobra demais. Corre atrás das coisas, tem diversas conquistas, mas, tem certeza que para conseguir os seus objetivos você precisa de mais e mais. Porém, no meio desse “mais e mais” sempre há derrotas. Derrotas fazem parte da vida. E nós não estamos preparados para sofrer com elas. Estamos acostumados a vencer bastante. O gostinho da vitória todo mundo adora e se vicia nele. Mas quando prova a derrota, nunca mais esquece e começa a se colocar ansioso, tendo medo de arriscar e perder de novo. A derrota assusta.

Aí então, acontece, o que a nossa geração mais teme: A estagnação. O medo de arriscar e perder, faz você não tentar, e, acabar ficando parado sem saber o que fazer. Esse claramente é o motivo de várias mentes jovens perturbadas nos dias de hoje. Experimente um dia sentar com seus amigos e perguntar: Vocês sabem o que pensam para sua vida? – Possivelmente, poucos saberão responder. Mas, para que responder isso? Não temos que achar respostas para tudo na vida não. Planejamento demais, faz com que você não viva o futuro. – Perdeu? Foi derrotado? Errou algo? Relaxa! Foi ontem! O essencial é se importar com o agora, para o que você pode mudar. O passado você não muda, e o futuro você não tem como prever, portanto, se dedique, somente, ao presente. Não está satisfeito com o trabalho? Não fique se desgastando no mesmo lugar. Saia! Mais importante do que o salário que você vai ganhar no final do mês, é a sua vida. Cada segundo, cada minuto, cada hora insatisfeito tem um valor que nenhum dinheiro do mundo vai pagar.

Tome decisões. Não tenha medo.  A vida é isso, e, quem consegue algo nela, são aqueles que não têm medo de escolher as coisas. Mark Zuckenberg, teve uma proposta para vender o Facebook de 1 bilhão de dólares no seu início. Você acha que ele conseguiu dormir quando isso bateu em sua porta? Com certeza foi uma das decisões mais difíceis da vida do empresário. Vender um site que estava começando a se consolidar e poderia dar ou não dar certo ou arriscar e falar não para essa bolada e simplesmente acreditar no seu sonho. Ele escolheu a segunda opção e como todos sabem, deu certo. Hoje a empresa vale mais de 40 bilhões.

Por mais complicado e difícil que seja, o maior desafio da nossa vida é entender nós mesmos. Isso vai ser uma missão que você vai carregar até o final dos seus dias. Entender os problemas de amigos, parentes e companheiros é fácil. Difícil mesmo é entender os seus. Olhe para dentro e veja quem você é. Veja o que você quer. Tire a capa social. Você não tem que fazer algo para mostrar para os outros que você conseguiu conquistar. Perceba aquilo que vai te fazer feliz. Aquilo que vai te fazer sorrir e estar com pessoas que te fazem sorrir.

A felicidade não é estado, ela é momento. Por mais duro que seja, você nunca vai ser feliz. Durante a vida você tem raros momentos de felicidade, e se prende a eles para falar que um dia já a teve. Portanto, pessoal, não pensem duas vezes em fazer algo que você acha ideal agora. Não pense em futuro. Viva seu presente. Curta cada momento e tente tirar o algo de bom que ele traz. Só assim, e somente assim você vai feliz. Não seja refém das suas escolhas e sim rei delas mesmo. O que elas vão te trazer são fatores que outras escolhas poderão mudar futuramente. E assim por diante. A vida é uma sequência de escolhas e de consequências. Por isso, opte sempre por aquilo que te faz bem agora. Se der errado? Tente de novo… e de novo…e de novo…

E assim vamos vivendo e evoluindo, com um sorriso na cara e a esperança no coração…

Douglas Gomides

Já tendo trabalhado na Europa e no Brasil, Douglas Gomides é um estrategista em Marketing Digital com mais de 6 anos de experiência. Ele também ministra cursos por todo país pela sua empresa Campfire Digital Knowledge. Além disso, o especialista é colunista no Mídia Publicitária e do ComSchool.

Related Posts
Leave a reply